Política

Crivella, Milícia e Game of Thrones

Salve povo que começou a semana ungido no poder!

Parece que o trabalho de base das igrejas neopentecostais funcionou. Quem conhece a quebrada sabe que a palavra do Senhor é muito mais importante do que esse papo de direitos humanos.

O pastor Crivella venceu uma batalha interessante na eleição de domingo: venceu a mídia empresarial e a esquerda. Globo e Veja atacaram o pastor, mas não obtiveram sucesso.

Crivella preso em 1990

Crivella preso em 1990 na capa da Veja

A esquerda também o atacou de inúmeras formas: fundamentalista, homofóbico, machista, vendilhão do templo, miliciano, etc. O inimigo comum proporcionou o inimaginável: a esquerda fez um acordo tático com a Globo e Veja. A estratégia funcionou, pois a Zona Sul votou em peso no Freixo. Pena que a esquerda não chegou na Zona Oeste.

Crivella, portanto, surge como a demonstração de uma nova força, baseada em um Conservadorismo Cristão (CC), que se expressa nas igrejas ‘dos crentes’ com o seu braço armado que são as milícias.

Enquanto a esquerda joga a culpa nas suas facções que votaram nulo, ignoram a força do CC. Restou à esquerda curar a ressaca da derrota.

Malafaia faz piada com a derrota da esquerda.

Malafaia faz piada com a derrota da esquerda.

Já ouviu que ‘a vida imita a arte’? Pois essa ascensão do CC tem muitas similaridades com Game of Thrones (GoT). Explico: com a decadência do reino causada pelas várias guerras entre as famílias mais poderosas, a população empobrecida e faminta recorreu ao único refúgio que ainda lhes restava – a igreja. Ao perceber o poder da religião, a rainha Cersei teve a estúpida ideia de entregar armas aos fundamentalistas, que a ajudaram a eliminar os oposicionistas. No fim, ao contrário do que Cersei esperava, os fundamentalistas tomam o poder para si.

Perceba as similaridades com a nossa realidade: a população empobrecida frequenta as igrejas, o ex-governador Cabral se favoreceu com o crescimento das milícias que o ajudaram a eliminar oposicionistas e, agora, o PMDB se surpreende quando o CC decide tomar o poder pra si. A maior diferença é que o grande líder religioso do GoT vive como um pobre, já os nossos pastores são milionários.

Cersei e o High Sparrow (direita) fazendo o acordo para armar os fundamentalistas. Cabral e Jerominho (esquerda) em festa da Liga da Justiça, uma das maiores milícias.

Cersei e o High Sparrow (direita) fazendo o acordo para armar os fundamentalistas. Cabral e Jerominho (esquerda) em festa da Liga da Justiça, uma das maiores milícias.

Se você achava que estávamos no fundo do poço, se prepare, pois agora há um pastor fundamentalista gritando com a bíblia na mão e um miliciano armado lá no poço.

Como enfrentar essa realidade e reverter o jogo?

Deixe a sua proposta nos comentários.

1 Comment

1 Comment

  1. Casmor Morane

    outubro 31, 2016 at 7:26 pm

    Aguardando a caixa baixa para colocar o fogo vivo ali embaixo da cinelândia =P

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

+ Vistos

O Mariachi é um coletivo anarquista de midiativismo, fundamentado no princípio da liberdade individual e na busca pela emancipação coletiva.

Copyleft © 2013 - 2017 Direitos autorais é o caralho!

To Top