Política

Recado para os homens

O dia mal começou e eu já me vi inundado de mensagens terríveis vindas dos meus amigos e familiares. A maioria piadas sem graça, que objetificam a mulher como a mensagem de um ‘camarada’ – “parabéns a todas as mulheres, incluindo as feias” – ou simplesmente colocam o feminino como algo inferior – vestir um são-paulino de mulher agride as mulheres, as trans, gays. Por favor, pára!

Estamos em 2017 e ainda temos que aguentar isso =(

Neste carnaval, eu estava seguindo um bloco atrás de duas amigas. Em menos de 10 minutos, uma delas foi assediada duas vezes! A outra só não teve o mesmo azar, porque eu fiz cara de bravo. Sério que você precisa de um homem acompanhando a garota para não assediá-la?

Demorei muito pra escrever esse texto, porque homem quando escreve sobre a luta feminina passa vergonha. Pois hoje a indignação foi tanta, que decidi passar vergonha mesmo, mas este texto não é para as mulheres e sim para os meus amigos homens, que eu tenho a obrigação de bater de frente.

Você bate de frente com seu amigo machista?

Antes de bater de frente, vou fazer uma meia-culpa necessária. Não quero pagar de desconstruidão, nem quero biscoito das mina – o recado é para os meus amigos mesmo. Tenho várias atitudes machistas, típicas dos que não percebem seus privilégios.

Adoro visitar meus pais pois lá eu não preciso lavar a louça, já que minha mãe fica com essa obrigação. Ser machista com a mãe é feio demais!

Já fiquei puto com a namorada, pois ela não queria transar naquele dia – como se fosse obrigação. Já enchi o saco pra não usar camisinha, pois meu prazer estava acima da saúde dela. Já briguei com companheira por ficar muito abraçada com os amigos, mas ao mesmo tempo adoro conversar abraçado com minhas amigas. A lista de machismos é longa, você pode imaginar.

Recado

Hoje não é dia de fazer piada com as mulheres, nem com a luta delas. De que vale o seu parabéns e flores, se todos os dias elas são humilhadas e violentadas? Você estaria colaborando muito mais se repensasse seus privilégios e começasse a tratar melhor as mulheres a sua volta.

Se você respeita as mulheres, parabéns! Não fez mais que sua obrigação, não precisa se vangloriar.

Nunca use puta como xingamento e respeite as mulheres independente das roupas que usam.
Divida os serviços domésticos: não cozinhou, lave a louça. Sujou, limpou. Valorize o trabalho das mulheres na sua casa. O cuidado das crianças também deve ser dividido igualmente, pois elas querem ter tempo livre para fazer outras coisas.

Respeite as mulheres que não querem casar, nem ter filhos, não sabem cozinhar, que não gostam de pinto. Não se impressione quando uma mulher for bem-sucedida ou rígida nas relações, esses traços nunca foram exclusivos dos homens.

Agora a dica mais difícil de seguir: se uma mulher estiver sendo agredida ou assediada, intervenha! Uma das maiores reclamações em agressões públicas é que ninguém se mete, as pessoas assistem a mulher apanhar como se o problema fosse exclusivamente dela. Em uma sociedade que espanca uma mulher a cada 24 segundos, a segurança das mulheres é obrigação de todos. [1]

Não relativize a violência contra a mulher (ex. “o Brasil é um país violento mesmo”). A maioria das agressões ocorrem em casa e 1/3 da violência parte do companheiro, ou seja, os agressores somos nós.

Dia de luta

Hoje será um dia de luta das mulheres, por respeito e direitos. Vamos ajudar, ouvindo mais e falando menos 😉

 

[1] Mapa da violência contra a mulher no Brasil

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

+ Vistos

O Mariachi é um coletivo anarquista de midiativismo, fundamentado no princípio da liberdade individual e na busca pela emancipação coletiva.

Copyleft © 2013 - 2017 Direitos autorais é o caralho!

To Top